quinta-feira, 2 de outubro de 2008

... VERSÃO 2 - MARESCIDADES ...

O frescor.
É a brisa pousando na face
cobrindo meu rosto de toda alegria
do cheiro do mar, maresia
eu sinto o sal nas narinas.
E ali
no percusso do meu caminhar
sentindo a areia no pé
pisando nas conchas sem acordar
que recupero toda a força para continuar.
Continuar a abrir os olhos
continuar a respirar
a te ver todos os dias
a sorrir, a imaginar.
Continuar a tocar na água
continuar a escrever
transcrever os caminhos da vida
a fita com amor o valer.
E no barco
Ver a cidade ao luar.
Como pode um paraiso
Tanto se perpétuar?

(Mares Cidades)


2 comentários:

B. disse...

Meu nome é Brisa, adoro ver meu nome em poesias, me sinto menos insignificante. KKKK.
Eu não gosto muito de praia, apezar da sua beleza subliminar, o conjunto de água salgada, sol e areia não me agradam.
Poema bonito. =D

30 e poucos anos. disse...

Lindísimo texto ... da pra sentir as sensações.